quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Komodo Moto Studio





Personalize Sua Moto!!
Transformamos nosso Hobby em profissão. Eu tranquei a faculdade de Eng. Mecânica para tocar a loja; meu sócio formou-se em contábeis, largou seus 2 empregos e veio investir nesse empreendimento. Somos loucos pelo que fazemos. Nossa loja é focada em PERSONALIZAÇÃO de MOTOS. É umserviço raro em POA, aliás, em todo Brasil. Todavia, é um serviço de muita procura entre os amantes do motociclismo. As pessoas querem ser identificadas pela sua moto e querem que sua moto se identifique com elas. A chave para essa identidade é personalizar. Você sonha e a gente torna real. Mas se você quiser trocar o óleo, fazer uma revisão, dar um retoque na pintura ou comprar um acessório - camiseta, fivelas, alforjes - ou apenas desejar trocar uma idéia com apaixonados por motos na companhia de um bom chimarrão estamos de portas abertas de segunda a sexta das 9 às 19 e sábados das 9 às 13h.

CONTATOS:
Personalize Sua Moto!!
endereço: Av. Bento Gonçalves 319 , estado: RS
local: Porto Alegre, Brasil
telefone celular: 9210-8606
TELEFONE: (51)21113742
ORKUT: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=12318038163447677771
SIT: http://www.empresasde.com.br/empresas/Komodo-Moto-Studio
Guahyba Rache e Gregori Cardona
Tel-- 2111-3742 // 2111-3743 // 9210-8606 // 9292-1696
email:  komodomotostudio@hotmail.com
ESTACIONAMENTO
Local Próprio





terça-feira, 8 de novembro de 2011

A hora de trocar os pneus


Trocar os pneus é aparentemente uma tarefa fácil mas é necessário ficar atento a alguns cuidados básicos para aumentar a durabilidade e manter seu pneu em ordem para não correr risco de acidentes.

Primeiro é importante ficar atento as especificações da fabricante para trocar os pneus, mas normalmente eles seguem a seguinte orientação - desde que sejam originais de fábrica:

1-) Motos esportivas: 10.000 km
2-) Motos Custons: 12.000 km

Vale lembrar que isto é uma orientação, se os pneus já estiverem praticamente sem frisos na faixa central ou que a moto está instável (mesmo estando calibrado) significa que é hora de trocar

Chegado o momento da troca, de preferência a fazê-lo em uma máquina de montagem, esta regra acentua-se ainda mais se as rodas forem raiadas. De preferência utilize o mesmo modelo de pneu que veio da fábrica.

E atenção, se o pneu for novo é sempre importante dar uma “lixada” nele antes de utilizar para retirar a camada de cera. Para fazer isto é simples:

1-) Dianteiro: Use uma lixa grossa de qualquer tipo e passe em toda banda de rodagem
2-) Traseiro: Em uma área de areia ou cascalho fino e dê uma patinada com no mínimo duas voltas no pneu.

Plástico grudado no escapamento cromado


Um dos problemas mais desagradáveis - e comuns - para quem anda de moto nas grandes cidades e possuem escapamento cromado é quando um plástico cisma de grudar e se fundir com o cromo, acabando com a peça.

Você pode tentar passar , álcool, gasolina, thiner, querosene, desengraxante, removedor, solvente de plástico e etc, que de nada adiantará. Não existe solução então? Existe sim.

Para isto você precisa de uma palha de aço média ou grossa (não pode ser “bombril”, pois ele tem fios mais finos que a palha de aço). Para iniciar a retirada do plástico a palha deve ser utilizada a seco. Passe-a sobre o local sem muita pressão e pare antes que a palha alcance seu desgaste total.

Será um trabalho de paciência, você irá reparar que o material plástico vai se desgastando até sumir. Vale lembrar que este trabalho só pode ser feito em peças Cromadas.

Mas atenção, esta é apenas uma dica de como fazer e não é garantia que solucionará por completo o problema, afinal, este trabalho vai depender de muitas variáveis como: tipo de palha de aço, de escapamento, da força que você aplica na hora de passar a palha e etc.

Portanto se você não quer correr riscos de danificar seu escapamento cromado o ideal é buscar um dos lava rápidos especializados em motos.

Escapamento esportivo


Item essencial para o funcionamento das motos, o escapamento além de seu caráter funcional é um “acessório” que ajuda a deixar a máquina mais bonita. Mas será que vale a pena modificar a moto colocando uma saída esportiva?

Para tirar uma conclusão é necessário analisar o funcionamento do escapamento. Falando de uma maneira simples, sem ser nada científico, podemos falar que depois da combustão interna o que restou da detonação dentro da câmara (os gases) precisa ser expelido, e quem faz isto? O escapamento, ele que permite que os gases sejam jogados para fora da moto.

Se o que restou da mistura ar-combustível tiver dificuldade para sair, o motor trabalha com menos desempenho. Por outro lado, se as saídas estiverem totalmente liberadas, o motor fará um esforço desnecessário.

Estes fatores devem ser levados em conta na hora de fazer a escolha, porque se for levar em consideração o preço a saída esportiva acaba sendo até mesmo mais barata que a original - isto sem contar que pode aumentar o valor da moto na hora da revenda.

Qualquer moto pode ter um escapamento esportivo, seja de alta ou baixa cilindrada, 2 Tempos ou 4 Tempos. Para manter o produto em ordem é importante seguir as orientações do fabricante e, de preferência, realizar a instalação em uma oficina qualificada.

Saiba como descobrir a moto ideal para você


Antigamente, com a falta de opções, era mais fácil escolher o modelo de moto. Mas assim como com os celulares, atualmente existe uma extensa lista de fabricantes e, uma maior ainda, variedade de máquinas disponíveis no mercado.

Mas para escolher a moto ideal não basta ir pela beleza ou pelo preço existem muitos fatores que devem ser levados em conta na hora de escolher como: seu estilo, o tamanho e até mesmo a finalidade de uso da moto.

Confira algumas dicas que podem te ajudar na hora da escolha:

1-) Altura: encontre uma moto ideal para a sua altura. Ao sentar na moto, você deve ter a possibilidade de se balancear sobre ela usando a ponta dos pés. Se quando você sentar na moto os seus pés ficarem inteiros no chão, ou os joelhos dobrados com os dois pés no chão, a moto é, provavelmente, muito pequena para você. Por outro lado, se a moto for muito alta, será difícil manter o controle nas trilhas.

2-) Peso: considere também o seu peso. Quanto mais pesado você for, mais potência a moto deve ter, caso você queira ser competitivo nas trilhas ou na pista. Lembre-se de que quanto maior for a moto, mais ela vai pesar. Não escolha uma moto que você não consiga levar.

3-) Seu objetivo: Considere seriamente qual será o seu uso primário. Cada moto é feita com um objetivo específico. É sempre mais eficiente - e mais fácil - usar a moto na situação certa.

4-) Seu estilo: se você pilota há pouco tempo, pode não saber exatamente qual é o seu melhor estilo de direção. Ele vem com o tempo e a experiência. Quando descobrir, tente se adequar a ele.

Na hora de comprar uma usada fique de olho no número do motor


O número de chassi e RENAVAM são importantes e merecem atenção na hora de se comprar uma moto usada, mas também é importante ficar de olho no número do motor para não enfrentar problemas futuros e manter sua moto regularizada.

Segundo o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), o decalque dos caracteres do motor passará a ser obrigatório para proprietários que necessitarem fazer registro, transferência ou vistoria de seus veículos.

Para aquelas motos que têm o número, mas não estiver visível, é preciso fazer uma declaração na qual deverá constar a numeração do motor. Esse documento deverá ser obtido junto a estabelecimentos autorizados pelo órgão de trânsito de registro do veículo.

Para que tudo esteja correto, a numeração deve estar no bloco do motor e não mais em placas afixadas nos motores, como era feito antigamente.

Para os motores novos e sem número, é exigido um requerimento do interessado com firma reconhecida por autenticidade.

Velas, melhor prevenir do que remediar


Já cansamos de falar por aqui que a manutenção periódica das motos é algo fundamental para evitar acidentes e prejuízos ao bolso do motociclista. Hoje a dica vai para ajudar a estar em dia com um importante componente: a vela.

As condições da vela devem ser verificadas a cada três mil quilômetros, ou de acordo com as instruções do manual do fabricante. A forma de condução e procedência do combustível são dois itens que podem mudar bastante a durabilidade da peça.

Quando o equipamento está no fim de sua vida útil, a moto pode apresentar problemas na partida, no rendimento do motor, na correta emissão de poluentes e no consumo de combustível.

Vale ressaltar que a manutenção preventiva tem um custo bem menor do que uma possível substituição de componentes avariados por conta do desgaste excessivo das velas de ignição

Cadeira para transportar crianças em moto


Segundo o Código Brasileiro de Transito (CBT), transportar criança menor de 7 anos em moto é considerada uma infração, com multa no valor de R$ 172,99 e até mesmo suspensão do direito de dirigir.

Passada esta idade fica permitido trafegar com crianças na garupa. Uma das maneiras de realizar isto com segurança é por meio de cadeirinhas especiais para crianças. Elas não são obrigatórias como nos carros, mas também podem ser uma ferramenta útil para garantir a segurança do pequeno passageiro.

As cadeirinhas ainda não são muito utilizadas no Brasil - ao contrário da Europa em que alguns países é obrigatório o uso - e talvez por conta disto o preço deste item ainda seja tão caro. Em terras estrangeiras uma cadeirinha desta chega a custar 180 Euros, o que daria mais de 400 reais no Brasil.

Não é fácil encontrar um local que venda este produto aqui no Brasil, inclusive se alguém souber de algo pode contar para todos no espaço dos comentários!

Suzuki Boulevard M1500 2011


A Boulevard M1500 foi criada para aqueles que desejam uma fonte inesgotável de orgulho, uma moto de estilo com alto desempenho. Esta custom tem um visual clássico composto pelo para-lama traseiro, que esconde o amortecedor traseiro único de 46 mm de curso.

Aliado a um sistema link, seu amortecedor garante um curso da roda traseira de 108 mm. Ela também tem painel de instrumentos de fácil leitura, lanterna em LEDs e um tanque de 18l.

Seu assento largo, longo e bem acolchoado proporciona uma confortável posição para piloto e garupa. A nova Boulevard M1500 é a moto ideal para os tempos modernos. Graças ao eficiente sistema de gerenciamento de motor e medidas de controle das emissões de poluentes, atende as últimas normas referentes a emissões, o Promot 3.

fixa tecnica clik aqui: http://www.suzukimotos.com.br/modelos/fichas_tecnicas/Ficha_boulevard150_10-11.jpg

Pequenos detalhes que podem virar grandes problemas


De vez em quando nos preocupamos com grandes infrações (como proibição de trafegar em vias, conversões proibidas e etc) e acabamos nos esquecendo de pequenos detalhes que também podem gerar complicações.

No post de hoje citamos duas delas:

Conduzir utilizando viseira espelhada: É permitida apenas no período diurno, no período noturno o uso de viseira transparente é obrigatório. Não existe um horário pré-determinado, portanto, começou a escurecer evite utilizar este item.

Conduzir utilizando fone de ouvido: Segundo o Código Brasileiro de Transito, dirigir utilizando-se de fones nos ouvidos conectados a aparelhagem sonora ou de telefone celular é considerado infração média - 4 pontos na CNH e multa.

Bauleto: Vale a pena ou não?


Há um tempo se pensar em instalar um bauleto na moto, era para quando se planejava uma longa viagem ou então que se trabalhava com moto-frete. Porém com o passar do tempo, isso foi mudando e com a queda no seu preço e uma melhora no visual, tornando os mais bonitos, os bauletos se popularizaram. Hoje em dia é possível encontrá-los em qualquer modelo.

O bauleto facilita muito a vida dos motoqueiros, a depender do tamanho pode suportar capacete, mochila ou qualquer outro objeto que você carregue. Dessa forma pode se esquecer o elástico ou então carregar o capacete no braço.

Porém uma fica a dúvida como escolher o bauleto certo? Com tantas marcas e modelos é normal ficar confuso, é necessário saber as especificações para que não se sobrecarregue ou então cometa algum erro que comprometa o bauleto.

Bauletos são baús menores normalmente usados em viagens e no dia a dia. O top case é normalmente o mais reforçado e muitas vezes feito em alumínio. Por último os alforjes são bolsas de tecido que ficam presas nas laterais da moto. Há ainda as malas laterais rígidas.

Algumas motocicletas já vêm de fábrica com este item como, por exemplo, a Honda XRE 300, Suzuki DL1000 V-Strom e BMW G 650 GS. Mas caso você o compre separadamente é melhor escolher um apropriado para sua moto. Preste atenção na qualidade do material e também nos pontos de fixação. Procure escolher bagageiros que não alterem a originalidade da sua moto e não necessitem de furos adicionais.

O bagageiro, assim como o bauleto, tem uma capacidade máxima de carga. É importante respeitar esse limite para não comprometer a estrutura do conjunto. Após a instalação do bagageiro, vem a escolha do bauleto.

Segundo o vendedor Samir de Souza, da loja paulistana Moto Atacama,a marca do produto faz a diferença “As marcas mais conceituadas do mercado são Givi e a Shad, que dão garantia para seus produtos, o que é fundamental.”

Existem modelos que não podem ser retirados da moto, comprometendo a praticidade. É importante verificar também a fixação, a facilidade de abertura da tampa superior e a segurança da trava. Em alguns modelos com apenas uma chave é possível abrir o baú e retirá-lo do suporte. É sempre bom reparar se na hora de fechar não há nenhuma folga que possa entrar água. Um bom bauleto é totalmente impermeável.

Depois de escolher a marca outra dúvida que surge, de acordo com o vendedor, é sobre o tamanho ideal. Existem modelos de 26 litros até 52 litros de capacidade. É possível dividir os bauletos em dois grupos: os que levam um capacete fechado e outros que transportam dois capacetes fechados. A melhor coisa a fazer é t estar antes da compra. Leve seu capacete ou sua mochila para testar se cabe tudo o que você precisa levar no bauleto. Se você leva garupa opte por um baú em que caibam dois capacetes. Uma boa dica é adquirir também um apoio de espuma para a garupa. Como o próprio nome diz, serve apenas para um leve apoio.

Linha Bandit 650


A nova linha Bandit 650, nas versões N (naked) e S (semi carenada) chega ao Brasil em outubro. Apesar do atraso de quase três anos, já que foi apresentada ao público brasileiro, no salão Duas Rodas de 2007.

O modelo conta com suspensão telescópica tradicional e monoamortecedor na parte traseira. Ambas as suspensões possuem regulagem de pré-carga e retorno da mola. Equipada com rodas de liga leve de 17 polegadas, calçadas com pneus de perfil esportivo.

Com relação ao sistema de freios, as duas versões contam com disco em ambas as rodas. Na dianteira, disco duplo flutuante de 310 mm de diâmetro, “mordidos” por pinças de quatro pistões. Já na traseira, disco simples de 240 mm de diâmetro e pinça de duplo pistão. Infelizmente, o Brasil só receberá modelos básicos, sem o freio ABS.

Para uma maior harmornização entre os elementos da dianteira, a versão N ganhou também uma nova capa lateral, estrategicamente posicionada entre a coluna de direção e o tanque. Aliás, o compartimento de combustível tem capacidade para 19 litros, que confere a moto uma boa autonomia. Já o modelo S conta com a proteção e o conforto do para brisa, que protege o piloto da fuligem, de pedriscos, de insetos, do vento e da chuva

O preço ainda não foi divulgado, mas deve girar em torno de R$ 29.000. A nova linha Bandit estará disponível em quatro opções de cores: preta, prata, azul e vermelha.

Ficha técnica

Motor: 4 tempos, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, DOHC, refrigeração líquida


Potência Máxima: 85hp a 10.500 rpm


Torque Máximo 6,27 kgf.m a 8.900 rpm


Transmissão: 6 velocidades


Comprimento Total 2.130 mm


Peso Seco 215 kg


Tanque 19 litros Óleo do Motor 3,5 litros (com troca de filtro)

Suzuki V-Strom 650, boa para viagem


Para os fãs de motocicleta, e principalmente aqueles que adoram viajar a bordo da sua para conhecer diferentes lugares. Antes quem desejava conhecer mais afundo seu país a bordo de uma motocicleta, tinha que desembolsar uma considerável quantia de dinheiro. Hoje já não precisa mais, a V-Strom 650 veio com um preço mais accessível.


A V-Strom 650 carrega grande parte das qualidades de sua “irmã” maior. A principal delas é o conforto. O assento é largo e tem a espuma na densidade ideal. Até mesmo o espaço para garupa, esquecido em muitas motos, é conhecido como um dos melhores do mercado. A proteção aerodinâmica também garante conforto extra para o piloto em longas viagens. A altura do guidão e os comandos estão ali, sempre à mão. E fechando o pacote as pedaleiras com proteções de borracha deixam as pernas em uma posição agradável. O painel completo e de fácil visualização perdeu o útil indicador de última marcha engatada e os aros cromados – presentes na V-Strom 1000.

A autonomia também é outro trunfo para os aventureiros, o tanque da 650cc comporta 22 litros de combustível. E como durante muitas viagens não é possível prever as condições da estrada o modelo tem suspensões altas e com regulagens – garfo telescópico na dianteira e monoamortecedor facilmente ajustável na traseira.
A V-Strom 650 só não se sai melhor no off-road por conta do seu peso excessivo e dos pneus que privilegiam a pilotagem no asfalto. Mas ela não nega fogo, com essa Suzuki 650cc é possível raspar as pedaleiras no asfalto ou cruzar um riacho com facilidade.

Cuidados com os pneus


O pneu da moto muitas vezes acaba sendo esquecido, ou a falta de informação atrapalha sua manutenção. Por isso aqui vão algumas dicas para você aprender a cuidar e manter o seu pneu.

.Calibragem
Os pneus são responsáveis por criar o atrito no asfalto, e assim “levar” a moto adiante. Por isso é necessário que a calibragem seja correta, e não haja um desgaste desnecessário dos pneus. A calibragem correta pode ser encontrada nos manuais dos proprietários das motocicletas e na própria motocicleta. Deve sempre ficar atento as mudanças necessárias, devido ao peso do veículo e também da carga. pneus com baixa pressão de inflação causam superaquecimento, diminuem a resistência ao rolamento na estrada, provocam o desgaste irregular, danos internos e rachaduras, reduzindo desta forma sua vida útil. A calibragem errada pode levar a um gasto maior de combustível. Já os pneus com pressão de inflação alta tornam o veículo mais ‘duro’, sujeitando-os a danos por impacto, desgaste acentuado no centro da banda de rodagem, entre outros problemas.

.Troca
Os pneus como qualquer outro produto tem uma vida útil, que gira em torno de 5 anos, após esse período as trocas são necessárias. A troca além da validade depende do uso, por isso deve ser levado em conta o T.W.I (Tread Wear Indicator) que é um indicativo da banda de rodagem, por isso quando o desgaste estiver alcançando essa marca, é recomendada a troca. Esta regra vale para pneus bem utilizados e sem danos sofridos. É desnecessário dizer que pneus em más condições de uso devem ser trocados imediatamente, evitando qualquer risco de acidente.

.Bolhas
Bolhas podem aparecer nos pneus e aumentar as chances de acidentes.Já que os pneus possuem diversas camadas de tecidos, que passam por um processo de fusão e assim deixam o pneu uniforme. Contudo, uma topada mais forte, um buraco meio invisível no meio da noite pode romper essas camadas, e conforme a moto vai rodando, o pneu danificado vai soltando as fibras internas dos tecidos. Com isso, o aquecimento do pneu vai aumentar e o calor fará aumentar o espaço danificado, e quando menos esperar o motociclista verá a bolha saltando aos olhos. Neste caso, só há uma coisa a fazer: trocar.

.Cuidados com os pneus
. A verificação da pressão deve ser feita regularmente com os pneus frios, inclusive reserva. Nunca reduza a pressão do ar enquanto os pneus estiverem quentes.
. Os pneus devem ser substituídos quando suas superfícies demonstrarem sinais de desgaste, mesmo que este seja somente parcial (ex.: desgaste irregular).
. Se ocorrerem furos ou maiores impactos, deve se verificar também a parte interna do pneu.
. Cumpra o código de velocidade e o índice de carga.
.Faça uma verificação geral de condição dos pneus regularmente.
.Nunca estacione sobre locais com óleo, solvente, etc.; eles podem causar danos aos pneus.

.Dicas de segurança
. Antes de montar o pneu, verifique o estado do aro. Aros danificados criam vibrações e reduzem a estabilidade da motocicleta.
. Após a montagem, examine o ajuste entre o aro e as bordas dos talões.
. Use sempre a pressão correta para cada tipo de pneu, o que proporciona maior vida útil, excelente capacidade de aderência ao solo e maior estabilidade da motocicleta.
. Verifique sempre a calibragem indicada pelo fabricante.
. Em caso de carga, evite o superaquecimento do pneu, aumentando a calibragem.
. Pneu novo requer uma câmara nova.
. A utilização incorreta do produto, bem como impactos violentos, podem originar fissuras internas nos pneus, que podem não ser percebidas de imediato.
. A vida útil do pneu depende também do bom uso e montagem.

Divulgada a imagem do modelo da nova Triumph Tiger 800XC


Na primeira imagem divulgada pela Triumph Tiger 800 XC, o que mais chamou a atenção foi a nova “roupagem” voltada para o off-road, que é o que significa a versão XC.

A apresentação oficial do modelo deve ocorrer no Salão de Milão, e assim teremos maiores informações sobre a mesma. Certo é que a versão mais básica será equipada com pneus de 19″, enquanto a mais completa será equipada com pneus de 21’’.

Até onde se sabe o motor será derivado da desportiva Daytona 675 que passará a apresentar uma cubicagem de 800 cc, disponibilizando menos potência máxima mas um maior binário para enfrentar os obstáculos que os motociclistas poderão encontrar nas suas experiências off-road.

Outras informações são de que, é esperada uma potência de 10 a 15 cv, além do peso que será por volta dos 200 kg.

A imagem mostra alguns acessórios que a marca terá no novo modelo: são essas uma proteção de plástico para o guarda-lamas superior, um escape Arrow, e uma proteção de maiores dimensões para o motor.

Dicas de acessórios e equipamentos


Aqui vão algumas dicas de acessórios e equipamentos para se usar. É sempre importante lembrar que a segurança deve ser prioridade, quando se trata de utilizar qualquer automóvel. Aí vão os itens:

. Documentação: parece óbvio, porém muitos se esquecem ou não acham importante contar com os documentos sempre que saem. Além da CNH tipo A que permite a direção de motos, é necessário o documento do veículo.

. Capacete: tema de um dos posts do blog, o capacete é de extrema importância porém muitas vezes deixado de lado. Além de proteção em casos de acidentes mais violentos, o capacete protege do vento, da chuva, poeira ou até mesmo pedras e insetos. é necessário ficar atento ao fabricante, e aos selos de segurança.

. Blusão de cabedal: Não compre um blusão qualquer. Vá a uma loja de motos e acessórios para lhe aconselharem na melhor opção. Tenha em atenção a circulação de ar dentro do blusão, pois quando se compra este acessório é para usar todo o ano e se for muito quente, no verão é mais uma ajuda para que o deixe em casa.

. Calças: São necessárias para a segurança, bermudas e calções não são as melhores escolhas, já que em caso de acidente não ajudarão a proteger. O recomendável, é de que se use calças próprias para a prática, porém sabemos que isso é muito difícil, até pelos altos preços. O fato de se estar usando calças, ajuda em muito em caso de acidentes por não haver contato direto com a pele.

.Luvas: Nunca ande sem luvas, pois em caso de queda, estas fazem muita diferença. Escolha umas que sejam leves para o verão e outras que sejam confortáveis e quentes para o inverno, ambas com proteções adequadas.

.Calçado: Para andar na estrada, as botas próprias de estrada disponíveis de diversas marcas, pois além de muito práticas são altamente confortáveis e são principalmente muito seguras. Evite calçado tipo chinelos, pois estes por vezes prendem-se nos pedais e quando vamos a pôr o pé no chão, cai a moto em cima. É importante que a sola seja de borracha, para aderir ao terreno.

.Fato de chuva: Disponíveis em duas peças em numa só peça. Ambos o mantêm impermeabilizado quando chover, mas o de uma só pessoa leva vantagem, porque numa chuva mais forte, a água tende sempre a entrar de alguma forma, e nesse caso é mais difícil.

.Tampões de ouvidos: Para evitar aquele zumbido que permanece depois de uma longa viagem, e também para evitar problemas mais sérios.

Nova Kawasaki VN900 Classic


Dentre as várias opções de motos custom da Kawasaki a filial brasileira decidiu trazer três variantes da linha de 900com³: a VN900 Classic, Classic LT e a versão Custom.

A versão Classic, como diz o nome traz um estilo mais clássico e cheio de cromados, enquanto o Classic LT ganha malas laterais e bolha aerodinâmica. A custom segue um lado mais chopper, haja vista a roda dianteira aro 21 e a traseira 15 e garfo alongado. A VN 900 Custom será comercializada somente em preto fosco e conta com duas faixas longitudinais contrastando, dando um ar “bad boy” a moto. As rodas são de liga leve — aro 21 na dianteira e 15 na traseira. O painel também da o visual chopper, vindo completo com luzes de advertência, velocímetro analógico e até um útil marcador de combustível, porém a visualização não é tão fácil, já que o motociclista é obrigado a desviar o olhar para ler as informações. Para maior conforto o guidão drag-bar é elevado e juntamente com as pedaleiras avançadas deixa a moto ainda mais bonita.

O fato de ela ser confortável remete a sua proposta de ser usada principalmente em viagens, já que ainda conta com um tanque de 20 litros de capacidade, sendo assim um dos maiores da categoria.

Seguem maiores informações sobre o modelo.

FICHA TÉCNICA: KAWASAKI VN 900 CUSTOM
Motor: 903 cm³, 2 cilindros em V, refrigeração líquida

Potência máxima: 50 cv a 5.700 rpm

Torque máximo: 8,0 kgf.m a 3.700 rpm

Transmissão: Câmbio de cinco velocidades, com transmissão final por correia dentada

Suspensão: Garfo Telescópico convencional na dianteira; balança monoamortecida com regulagem na précarga da mola na traseira.

Freios: Disco simples de 300 mm com pinça de dois pistões (dianteiro); disco simples de 270 mm com pinça de dois pistões (traseiro).

Dimensões: 2.405 mm de comprimento, 1.005 mm de largura e 1.065 mm de altura. Entre-eixos 1.650 mm, altura do assento de 685 mm e 140 mm de altura mínima para o solo.

Peso: 278 kg.

Preço: R$ 31.990 (sem frete e seguro)

Dicas para lavar a moto


Para lavar a moto ás vezes surgem algumas dúvidas, sobre como fazer ou o que usar. Aqui vão algumas dicas para lavar sua moto, essas valem principalmente para os mais novos pilotos.

.Evite lavar sua moto quando esta estiver exposta ao solo, ou mesmo com o motor quente.

.Para remover resíduos de graxa e óleo do motor, carburador, escapamento e cavalete lateral, pulverize querosene. Essa pode assustar alguns, porém só o querosene remove esses resíduos. Em seguida, enxágüe com bastante água.

.Use sabão neutro para lavar o assento, tanque, tampas laterais e para lamas, e use pano limpo. A todo instante lave o pano, para retirar pequenos resíduos de sujeira ou areia, que podem riscar a moto.

.Enxágüe e enxugue a moto por completa.

.Com uma esponja ou pano macio com bastante água, limpe o para brisa da carenagem.

.Em caso de riscos, remova-os com cera de polimento para plásticos.

.Evite pulverizar água com forte pressão sobre: os cubos das rodas, saída do escapamento, sob assento, interruptor de ignição e guidão, corrente de transmissão. Sob o tanque de combustível, painel, carburador, reservatório de fluído de freio e carenagem.

. Nunca use pano seco para limpar a moto, pois pode riscá-la.

. Não utilize detergente durante a lavagem, já que este com substâncias corrosivas e pode danificar a pintura.

.Após a lavagem, lubrifique a corrente de transmissão de cabos do acelerador, embreagem e afagador, além de deixá-la ligada por alguns minutos.

Essas são dicas simples, mas que podem trazer um excelente resultado.

Norton 961 Commando


A antiga e tradicional marca de motos inglesas Norton, que foi fundada em 1898, volta a ação com o modelo 961 Commando. O modelo foi apresentado oficialmente na Itália, e traz um design clássico e limpo.

Os componentes são de excelente qualidade, amortecedores Öhlins reguláveis, entre outros. O motor é de dois cilindros em linha, refrigerado a ar e capar de gerar uma potência de 80 cv ás 6.500 rotações por minuto.

O modelo será vendido em três versões: SE (18.700 euros), Cafe Racer (16.700 euros) e Sport (14.900 euros), sendo as duas últimas disponíveis apenas para o mercado inglês. Pelo fato de sua fabricação ser quase artesanal, o preço é de fato elevado, e o fato de ser inspirada na beleza da atmosfera dos anos 60.

Dicas para evitar acidentes


.Utilizar equipamentos de proteção de boa qualidade: O capacete é o principal e faz toda a diferença em caso de acidentes. É preferível que contenha adesivos refletivos aprovados pelo Inmetro. A viseira deve ser usada abaixada, e caso não esteja é recomendável o uso de óculos de proteção.

.Inspecionar a moto antes de sair: Sempre que sair, lembrar-se de verificar a calibragem dos pneus, se não há nenhum objeto preso e se a corrente de relação não está frouxa ou apertada demais, o ideal é mantê-la em condições de lubrificação. Atenção, também, com o sistema elétrico, freios e combustível.

.Usar os dois freios: Ao utilizar o sistema de freios, a dica é que tanto o pedal quanto os manetes sejam acionados. Tendo em vista que na frenagem o peso da moto recai sobre a roda dianteira, é recomendável que não se freie bruscamente, para não se perder o controle.

.Dias chuvosos: Atenção redobrada em dias de chuva. A orientação é sempre para que o condutor pare a moto, coloque a capa e espere alguns minutos até a chuva remover os resíduos de óleo e de borracha da pista.

.Transitar com atenção: Em muitas situações o motociclista não consegue ser visto pelos outros veículos, devido aos ‘ponto cegos’, por isso é essencial que a moto esteja sempre com o farol ligado, mesmo durante o dia. Não transitar costurando o trânsito, nem entre os corredores da pista, pois, desse modo, o condutor fica extremamente vulnerável a acidentes.

.Respeitar os limites de velocidade: Nunca avançar o sinal vermelho, parada obrigatória ou preferencial. Atenção redobrada à noite: mesmo com o semáforo na cor verde, reduza a velocidade, por muitos motoristas conduzem seus veículos desrespeitando a sinalização.

Dicas para andar de moto na chuva


Sabemos que o cuidado deve ser redobrado para pilotar na chuva. Se puder evitar é melhor, uma vez que a visibilidade fica comprometida. Mas, se não tiver outro jeito, saiba algumas dicas de como ficar em segurança:
1.O ideal é ter uma roupa apropriada, pois o desconforto compromete a pilotagem.

2.Diminua a pressão dos pneus, um pouco apenas, pois essa circunstância requer mais aderência ao solo. A pressão pode variar conforme a condição, mas lembre-se de não baixar muito. Feito isso, não vá esquecer de calibrar os pneus quando parar a chuva.

3.Com a pista molhada estar atento às poças d’água, pois escondem buracos, pedras ou até mesmo causar uma aquaplanagem, condição em que as rodas perdem contato com o solo. Diminua a velocidade e evite passar sobre elas. Ao percorrer trechos urbanos evite passar pelo canto interno das curvas. Nessa região fica toda a sujeira do asfalto, principalmente resíduos dos veículos pesados.

4. As faixas pintadas no asfalto costumam ser escorregadias mesmo no seco, portanto, evite andar por elas e mais ainda, evite acelerar ao passar.

5. Frear a motocicleta exige a distribuição entre os freios dianteiro e traseiro. O adequado é que essa proporção seja de 70% na roda dianteira e 30% na roda traseira, porém sempre de modo gradual e contínuo até a moto parar. Se frear no seco já exige cautela, com o piso molhado a atenção deve ser maior. Pelo fato de o disco de freio estar molhado, pode ocorrer certo retardo na ação de frear.

6. Cuidado também com as manchas no asfalto: elas podem indicar algum problema, como óleo ou alguma substância escorregadia, desníveis de pista ou objetos soltos. Se for preciso, corrija a trajetória, porém sem se esquecer do tráfego a sua volta.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Moto pintada com ouro é vendida por US$ 500 mil

Há pessoas que têm o toque de Midas para os negócios, e tudo em que colocam a mão se transforma em montanhas de dinheiro. Nada mais justo, portanto, que estes poucos mortais tenham também sua parcela de ouro nas estradas da vida. Exibida em 2007 no Salão de Motos de Seattle, nos Estados Unidos, esta preciosidade em duas rodas com pintura de pó de ouro, peças banhadas a ouro e cobre, e detalhes em cristais Swarovski, acaba de ser vendida nos Estados Unidos por US$ 500 mil – cerca de R$ 820 mil. Mais para uma obra de arte, que para uma motocicleta, o modelo tem motor de 1.600 cc e não teve o comprador revelado, ele quer permanecer anônimo. A venda foi anunciada pela organização do evento de motos. Agora fica a pergunta: se o dono não queria chamar atenção, levou para casa a moto errada, não é mesmo?
Fotos:


Forty-Eight – Mais uma máquina na família Harley-Davidson

A Forty-Eight, uma motocicleta Sportster 1200 com várias modificações, sendo que a modificação principal é a do tanque de combustível, o tanque usado é um “peanut” (em formato de amendoim) com capacidade para quase 8 litros de gasolina, tornando a moto mais Agressiva.
A moto está equipada com um motor Evolution V-Twin de 1200 cm³, o motor recebeu cor negra e passou por um polimento especial, pneus grossos, sistema de injeção eletrônica, retrovisores abaixo do guidão e banco Sportster monolugar clássico a 710 mm de altura do chão.
O preço sugerido pela empresa Milwaukee é de US$ 10.490, cerca de R$ 19107 na cotação de hoje, mais acredita-se que a moto vá ser comercializada por uns R$ 39900, pois a XR1200 tem preço similar nos Estados Unidos.
[Clique nas imagens para amplialas]

Três Super Harley-Davidson personalizadas

O blog VILÕES M.C. traz exclusivamente pra você três super Harley-Davidson personalizadas, são máquinas fabricadas sobre medida para você que gosta do estilo Chopper.
A Harley-Davidson O-Bike e a Harley-Davidson Willy’s são unicos exemplares, e a Harley-Davidson Spec III teve mais de 150 produzidas, apenas 10 unidades restantes.
Os três modelos estão equipados com um motor de 883cc da Harley-Davidson.
A Harley-Davidson O-Bike em especial tem seus detalhes folheados a ouro.



 

CARACTERÍSTICAS - HARLEY-DAVIDSON SPEC III

- Mais de 150 produzidas, apenas 10 unidades restantes.
- Ano 2007 (0 km)
- Motor 883cc
- Totalmente Customizada e Exclusivo TMC
- Chassis especial TMC
- Rodas de alumínio aro 21(diant.) e aro 18 para pneu 240(tras.)
- Tanque(alumínio) com banco embutido, paralama traseiro(alumínio), guidão, pedaleiras e mesa exclusivos para o modelo
- Banco do garupa removível
- Farol Head Wings
- Escape esportivo
- Diversas cores em estoque















































  • CARACTERÍSTICAS - HARLEY-DAVIDSON O-BIKE

    - Ano 2007
    - 0 Km
    - Suspensão traseira e dianteira monobraço
    - Motor 883cc
    - Totalmente Customizada e Exclusivo TMC(único exemplar)
    - Chassis especial TMC
    - Rodas de alumínio aro 21(diant.) e aro 18 para pneu 240(tras.)
    - Tanques, paralamas, guidão, pedaleiras e mesa exclusivos para o modelo
    - Farol Head Wings
    - Escape esportivo
    - Pintura toda feita com de folha de ouro e preto cadillac























  • CARACTERÍSTICAS - HARLEY-DAVIDSON WILLY'S

    - Ano 2005
    - Motor 883cc
    - Totalmente Customizada e Exclusivo TMC(único exemplar)
    - Chassis especial TMC
    - Rodas de alumínio aro 21(diant.) e aro 18 para pneu 240(tras.)
    - Tanques, paralamas, guidão, pedaleiras e mesa exclusivos para o modelo
    - Farol Head Wings
    - Escape esportivo
    - Banco solo e garupa removível
    - Velocímetro digital
    - Pintura TRI-COAT com detalhes HOLOGRÁFICOS


    10 dicas de segurança Harley-Davidson

    Os riscos diante dos motoqueiros são constantes, inúmeras situações ameaçam a segurança e a integridade dos condutores. Infelizmente ao subir em uma moto junto com a sensação de liberdade, outros acontecimentos podem surgir. Mas a lendária marca Harley-Davidson, além de fabricar belíssimas motos, listou 10 dicas para uma condução mais segura.
    1. Use capacete sempre. Este item irá protegê-lo em caso de queda ou acidente. Além de proteger o piloto de qualquer lesão, o capacete ainda reduz o ruído do vento.
    2. Certifique-se que sua moto está em boas condições antes de encarar as ruas e estradas. Verifique os pneus, luzes, embreagem, espelhos e freios. Não é bom ter problemas durante a condução. É recomendável que você a leve até um mecânico periodicamente para fazer um check-up completo.
    3. Toda atenção ao cruzar um sinal. A probabilidade de colisão com algum motorista apressadinho põe sua vida em risco.
    4. Controle de freio. Quando você se aproxima de um cruzamento com velocidade moderada, é mais fácil parar rapidamente, se necessário. É preciso olhar para os outros veículos e pedestres que possam representar perigo.
    5. É importante ver e ser visto. Garanta que as luzes da moto estejam em ordem, especialmente para dirigir à noite ou em locais onde as condições de iluminação são zero.
    6. Durante a condução entre os carros, tente manter uma distância segura para que os motoristas possam vê-lo. Além disso, manter certa distância permite que você reaja a movimentos inesperados e evite uma possível colisão.
    7. Cuidado com as portas dos veículos. Com os carros parados no engarrafamento, tente manter uma velocidade de até 20km/h. Assim você pode parar no momento em que alguém abrir uma porta, típico acidente clássico das grandes cidades.
    8. Espelhos e pisca – alertas para mudanças de rotas foram inventados por alguma razão. É bom sempre usá-los para fazer uma curva ou mudança de pista. Fique atento aos veículos que estão em paralelo com a sua moto.
    9. Você não está sozinho nas ruas. Pedestres, veículos, animais e objetos são suas companhias. É prudente prestar atenção para aqueles que podem aparecer de repente no caminho.
    10. Responsabilidade no trânsito é essencial. Por isso, nunca conduza sob a influência de álcool ou outras drogas. Ser um motociclista é uma questão de calma e seriedade. Tudo depende de você.